O Que É Logística? Qual Seu Objetivo?

0

A logística é a “ciência de se fazer chegar o material certo, na quantidade certa, no lugar certo, no tempo certo, nas condições estabelecidas e ao mínimo custo”.

FUMARC (2017):

QUESTÃO CERTA: Logística é o processo de planejamento, implantação do fluxo eficiente e eficaz de mercadorias, de serviços e das informações relativas desde o ponto de origem até o ponto de consumo, com o propósito de atender às exigências dos clientes.

IDECAN  (2016):

QUESTÃO CERTA: A logística pode ser conceituada como o processo de planejamento do fluxo de materiais e/ou serviços, objetivando a entrega dos mesmos para satisfação das necessidades na qualidade desejada e no tempo certo, otimizando recursos e aumentando a qualidade dos bens e/ou serviços.

IDECAN  (2016):

QUESTÃO CERTA: A logística é uma importante ferramenta empresarial na medida em que busca prover, de forma eficiente, a lucratividade nos serviços de distribuição ao cliente, no fluxo de materiais dentro da empresa, no planejamento de compra, passando pelo controle e organização de estoques de matérias-primas e produtos acabados, no planejamento de controle da produção e no controle de transporte de embalagens.

IDECAN  (2016):

QUESTÃO CERTA: A logística empresarial é responsável por planejar desde a compra da matéria-prima, o armazenamento, a escolha das embalagens e a forma como o produto e/ou serviço chegará até o cliente. A organização e integração dos setores da empresa é algo fundamental e de responsabilidade de um profissional da área de logística. Entretanto, nada pode ser feito se o governo não assumir sua responsabilidade com a infraestrutura viária, que é o suporte para o trabalho da logística.

FAPSESE (2018):

QUESTÃO CERTA: A Logística empresarial associa o estudo e a administração dos fluxos de bens e serviços e da informação associada que os põe em movimento, ou seja, pode-se afirmar que a missão da Logística é: Colocar as mercadorias ou os serviços certos no lugar e no instante correto, na condição desejada, ao menor custo possível.

FGV (2018):

QUESTÃO CERTA: Logística é a parte dos processos da cadeia de suprimentos que planeja, implementa e controla o efetivo fluxo e estocagem de bens, serviços e informações correlatas, desde o ponto de origem até o ponto de consumo. 

UECE-CEV (2016):

QUESTÃO CERTA: A logística apresentou uma evolução continuada, sendo hoje considerada um dos elementos chave na estratégia competitiva das empresas. Em relação à logística, pode-se afirmar corretamente que: a partir da evolução da logística empresarial, observou-se a agregação de quatro tipos de valores à cadeia produtiva, sendo eles: valor de lugar, de tempo, de qualidade e de informação.

Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos (SCM)

0

CHIAVENATO (2010): CADEIA DE SUPRIMENTOS (SUPPLY CHAIN MANAGEMENT):

Como sistemas abertos, as empresas estão cada vez mais trazendo para junto de si os seus clientes (do lado das saídas do sistema) e seus fornecedores (do lado das entradas do sistema). Em outras palavras, as fronteiras do sistema empresarial estão se desvanecendo no sentido de eliminar limites ou barreiras ao ambiente externo. Fornecedores e clientes estão sendo envolvidos no processo de fornecimento, enquanto a empresa se torna o núcleo básico dessa nova abordagem em uma cadeia capaz de agregar valor a todos os envolvidos.

Banca própria CAP-IMES (2015):

QUESTÃO CERTA:Supply Chain Management, ou administração das cadeias de suprimentos, trata-se de uma abordagem mais estratégica de logística, em que a mesma é percebida como fator de diferenciação para as organizações, a partir da utilização das tecnologias da informação e da comunicação.

Banca própria CAP-IMES (2015):

QUESTÃO CERTA:Supply Chain Management é a integração da organização a partir de uma abordagem da logística como elemento diferenciador, buscando integrar o ambiente interno com o externo para otimizar processos, possibilitando maior valor agregado a todas as etapas da cadeia produtiva.

Banca própria CAP-IMES (2015):

QUESTÃO CERTA: São três os objetivos do Supply Chain Management: redução de custos, adição de valor e gerar vantagem estratégica para a organização. 

CESGRANRIO (2010):

QUESTÃO CERTA: Atualmente, o termo Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos (Supply Chain Management) é usado para descrever o complexo fluxo de materiais e informações que passa por essa cadeia. Para alcançar a eficiência na gestão da cadeia de suprimentos, uma empresa deve: colaborar com fornecedores e clientes, compartilhando informações sobre demanda e estoques de seus produtos, componentes e matérias-primas.

“Supply Chain Management (SCM – Gestão da Cadeia de Suprimentos) tem representado uma nova e promissora fronteira para empresas interessadas na obtenção de vantagens competitivas de forma efetiva e pode ser considerada uma visão expandida, atualizada e, sobretudo, holística da administração de materiais tradicional, abrangendo a gestão de toda a cadeia produtiva de uma forma estratégica e integrada. SCM pressupõe, fundamentalmente, que as empresas devem definir suas estratégias competitivas e funcionais através de seus posicionamentos (tanto como fornecedores, quanto como clientes) dentro das cadeias produtivas nas quais se inserem. Assim, é importante ressaltar que o escopo da SCM abrange toda a cadeia produtiva, incluindo a relação da empresa com seus fornecedores e clientes, e não apenas a relação com os seus fornecedores.”

Fonte: https://arquivos.cruzeirodosulvirtual.com.br/materiais/disc_POS/2011/gcs/un_IV_katia/teorico_III.htm

FCC (2009)

QUESTÃO CERTA: O gerenciamento de suprimentos por meio da abordagem do Supply Chain Management tem como objetivo estratégico: realizar ações colaborativas que promovam a união de forças de empresas – cliente e fornecedora, cliente e cliente, ou fornecedora e fornecedora – visando a explorar as atividades logísticas em busca de vantagens mútuas.

Cesgranrio (2014):

QUESTÃO CERTA: A colaboração dentro da cadeia de suprimentos ocorre quando duas ou mais empresas dividem a responsabilidade de trocar informações sobre o planejamento, a gestão, a execução e a medição de desempenho. A decisão operacional que estabelece parcerias para que parte dos produtos e dos serviços utilizados em uma empresa seja fornecida por outra empresa externa, de forma colaborativa e independente, é chamada de: outsourcing.

IDECAM (2015):

QUESTÃO CERTA: Atualmente, é uma tendência de mercado que as grandes organizações busquem agregar valor ao seu negócio, integrando de forma eficiente, os diversos entes que compõem a sua cadeia produtiva como fornecedores, fabricantes, atacadistas e varejistas. Este modelo de negócio ficou conhecido como Supply Chain Management (SCM) ou Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos. Sobre os principais propósitos do SCM, marque a alternativa INCORRETA.

A) Um dos objetivos do SCM é reduzir os níveis de inventários e diminuir os custos.

B) Uma cadeia de suprimentos é um sistema dinâmico que evolui e se altera ao longo do tempo.

C) A melhoria dos níveis de serviço e, consequentemente, a satisfação do cliente é um dos propósitos do SCM.

D) Controlar, gerenciar e aperfeiçoar o fluxo de matérias-primas e informações dos fornecedores para os clientes finais são objetivos do SCM.

E) O gerenciamento da cadeia de suprimentos visa tão somente a melhoria dos processos internos, havendo pouca relevância do ambiente externo neste processo.

Visa a melhoria de todos os níveis e contextos, tanto interno como externo.

Banca própria IF-SC (2015):

QUESTÃO CERTA: A gestão da cadeia de abastecimento ou supply chain management diz respeito às práticas de gestão que são necessárias para que todas as empresas agreguem valor ao cliente. Assinale a alternativa que APRESENTA um dos objetivos da visão da supply chain: Reduzir os custos de fornecimento e aumentar a produção.

Cadeia Logística de Suprimentos – é o conjunto de atividades utilizadas de forma a tornar eficiente a integração dos fornecedores, dos centros de distribuição e de estocagem, de forma que a comercialização dos produtos seja realizada na quantidade certa, no local correto e no momento oportuno, com foco na redução de custos e na alta satisfação nos níveis de serviços prestados aos clientes.

Código de Barras – Vantagens e Desvantagens

0

CEBRASPE (2011):

QUESTÃO CERTA: Código de barras, sistemas de posicionamento global e identificação por meio de radiofrequência são tecnologias que podem ser utilizadas para o rastreamento de mercadorias.

Os identificadores RFID (radio frequency identification) permitem que uma capacidade de rastreamento track and trace de uma cadeia de suprimentos seja criada. Os identificadores são “ativos” ou “passivos”. Os ativos transmitem informações para estações de recepção e os passivos são lidos por escâneres à medida que se movimentam pela cadeia.

A localização por satélite é um desenvolvimento paralelo (…). Contêineres e caminhões podem ser equipados com dispositivos que permitem monitorar por satélite a posição geográfica do ativo, incluindo informações sobre varáveis, como a temperatura. 

Fonte: Logística e Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos, Martin Christopher, 4ª edição, Página 245.

Banca própria IF-PB (2015)

QUESTÃO CERTA: No tocante à segurança no ambiente de materiais, é INCORRETO afirmar que o código de barras:

A) Agiliza o atendimento e otimiza o controle de informações.

B) Proporciona a simplificação da digitação dos dados. C Evita erros na identificação dos produtos.

D) Facilita a realização de compras.

E) Eleva o custo operacional.

O código de barras pode ser usado para aprimorar qualquer processo que envolva controle de mercadorias e, por suas próprias características, o sistema é ideal para grande número de itens, tornando-se a ferramenta adequada e racional de gerenciamento de estoques. 

 As principais vantagens do sistema são:

 * rapidez (estatísticas mundiais garantem que há ganho de tempo de até 30% no processamento);

* economia;

* aplicação no armazenamento, em compras e em vendas;

* financeiras;

* dispensa de etiquetação e reetiquetação de cada produto com o preço;

* exequibilidade de operações de descontos sobre determinados itens ou promoções.

Fonte: Administração de Materiais – Um Enfoque Prático – João José Viana.

Sistema de Identificação por Radiofrequência (RFID)

0

Segundo Gomes, Nogueira e Abrunhosa (2009) a Radio Frequency Identification ou Sistema de Identificação por Radiofrequência (RFID) é uma tecnologia utilizada para identificar, rastrear e gerenciar os mais variados produtos, entre eles acervos bibliográficos.

Banca própria UFBA (2012):

QUESTÃO CERTA: A tecnologia Radio Frequency Identification (RFID), ou Identificação por Rádio-Frequência, é aplicada, na biblioteca, para proteger os acervos bibliográficos contra furto e também para agilizar o inventário das obras e o empréstimo de publicações, inclusive possibilitando a autodevolução.

Em todo o mundo diversas bibliotecas têm implantado a tecnologia de radiofrequência, denominada Radio Frequency Identification (RFID) para agilizar suas atividades e fornecer novos serviços, dentre eles: o autoempréstimo e a autodevolução de materiais; inventário mais ágil e segurança contra furtos.

Fonte: Avaliação do uso do serviço de autoatendimento com tecnologia RFID na Biblioteca da Unesp – Câmpus de Rio Claro.

FUNDATEC (2019):

QUESTÃO CERTA: Sobre as vantagens da Tecnologia RFID (Radio Frequency Identification), analise as seguintes assertivas:

I. Agilização do processamento técnico.

II. Otimização do tempo em tarefas rotineiras.

III. Agilização de inventário da biblioteca.

IV. Baixo custo para implementação dos sistemas.

Quais estão corretas? Apenas I, II e III.

Vantagens da tecnologia RFID, de acordo com Vieira (2014, p. 253-254):

  • Otimização do tempo e funções dos colaboradores em tarefas rotineiras.
  • Agilização do processamento técnico.
  • Melhoria dos serviços prestados aos usuários.
  • Agilização na realização de inventários na biblioteca.
  • Aumento da privacidade e independência dos usuários.
  • Melhorias na gestão das coleções.
  • Identificação individual dos itens do acervo.
  • Aumento da segurança contra furtos.
  • Diminuição da ocorrência de lesões por esforço repetitivo (LER) nos funcionários.
  • Agilização do atendimento aos usuários.

Desvantagens potenciais da tecnologia RFID:

  • Alto custo para a implementação dos sistemas.
  • Problemas de desempenho para evitar furtos.
  • Problemas de eficiência na leitura e precisão dos equipamentos.
  • Impacto na saúde devido aos efeitos das frequências eletromagnéticas utilizadas.
  • Problemas de privacidade associados ao uso inadequado do número identificador das etiquetas RFID.
  • Aumento da preocupação com a segurança da base de dados da unidade para evitar acessos não autorizados.

VIEIRA, R. da M. Introdução à teoria geral da biblioteconomia. Rio de Janeiro: Interciência, 2014.

CEBRASPE (2011):

QUESTÃO ERRADA: Devido ao fato de serem capazes de captar a energia recebida de leitores para alimentar os seus circuitos, as etiquetas passivas RFID são, em geral, mais caras que as etiquetas ativas.

Passiva é a ideia do cartão de crédito que você tem de praticamente encostar para ele detectar. Ativa é o celular que “emite” ondas que possam ser detectados. Se é mais cara ou não, aí eu não sei, mas respondi como se fosse, pois a tecnologia ativa é melhor que a passiva

CEBRASPE (2011):

QUESTÃO CERTA: O alinhamento entre antenas de leitores e antenas de etiquetas, assim como o ambiente de propagação no qual os dispositivos então inseridos, constituem fatores que podem interferir no desempenho de um sistema RFID.

FCC (2017):

QUESTÃO CERTA:  A etiqueta RFID possibilita a rastreabilidade de cada item. 

Sim, através dele pode ser rastreado onde o item está.

FCC (2017):

QUESTÃO CERTA:  O Código de barras necessita da interação humana para ser lido.  

FCC (2017):

QUESTÃO CERTA:  A etiqueta RFID pode ser lida em qualquer posição (horizontal ou vertical). 

Sim, facilitando o seu uso.

FCC (2017):

QUESTÃO CERTA:  A etiqueta RFID pode ser lida mesmo suja, com poeira ou até embutidas em plásticos. 

Sim, facilitando o seu uso.

FCC (2017):

QUESTÃO ERRADA: O Código de barras pode ser lido a uma distância maior do que a etiqueta de RFID. 

Não, o RFID possui um maior alcance de leitura.

Qual a diferença entre código de barras e RFID?

Fazendo uma analogia, seria a mesma coisa que perguntar: qual é a diferença entre um carro e uma carroça?

O RFID possui muitas diferenças, abaixo segue algumas delas:

Em uma contagem de estoque, o procedimento por RFID chega a ser 25 vezes mais rápido quando comparado com o código de barras. Veja como a contagem por RFID é rápida (600 etiquetas RFID por minuto).http://www.youtube.com/watch?v=noIy8GWPkkk

O RFID possui serialização, ou seja, cada item terá rastreabilidade, já com o código de barras todos são iguais. Produtos idênticos possuem código de barras iguais.

O RFID é mais preciso que o código de barras na contagem em grande escala. A chance de um funcionário ler duas vezes o código de barras ou não ler um código de barras é muito maior que o RFID não ler uma etiqueta. Detalhe: O RFID não lê duas vezes o mesmo item pois ele é serializado.

A etiqueta RFID armazena muito mais informação que um código de barras. O RFID armazena por exemplo: código do produto, o tipo do item (se é um produto de venda, se é ativo da empresa, etc.), possui serialização, possui uma memória que pode ser armazenada qualquer informação (ordem de produção, número de venda, etc.)

RFID pode regravar informação, o código de barras apenas pode ser lido.

O código de barras precisa de interação humana para ser lido (acionar o gatilho do leitor de código de barras), o RFID não precisa.

Você não precisa enxergar a etiqueta RFID para lê-la. Por exemplo: se a etiqueta estiver dentro de uma caixa, ela será lida.

A antena RFID lê a etiqueta em qualquer posição (horizontal ou vertical), já o código de barras precisa estar alinhado ao leitor.

As etiquetas RFID podem ser lidas mesmo sujas, com poeira ou até embutidas em plásticos (não ficam visíveis) ​

Etiquetas RFID são difíceis de serem falsificadas, no entanto, código de barras podem ser impressos por uma impressora laser.

Etiquetas RFID UHF podem ser lidas até 30 metros, o código de barras não passa de 1 metro.

Banca própria UFLA (2018):

QUESTÃO CERTA:   A tecnologia RFID tem sido implantada com êxito em acervos bibliográficos de diversas bibliotecas com freqüência que converge para 13,56 MHZ.

QUESTÃO CERTA:  A tecnologia RFID utiliza um chip onde pode ser gravado, regravado e que possibilita ler à distância todas as informações necessárias ao gerenciamento do acervo.

QUESTÃO CERTA:  A tecnologia RFID possibilita as funções de segurança, inventário, autoempréstimo, autodevolução e organização de acervo nas estantes.

CEBRASPE (2010):

QUESTÃO ERRADA: Os sistemas RFID são cada vez mais utilizados em aplicações que exigem segurança elevada, como em controle de acesso de pessoas e em sistemas de pagamentos, o que requer medidas eficazes contra tentativas de ataque à rede de comunicação. Nesse tipo de aplicação, a comunicação RFID entre dispositivos indutivamente acoplados operando em 13,56 MHz tem sido evitada, até que algoritmos de criptografia sejam implementados, já que, nessa faixa, a comunicação pode ser interceptada a uma distância de até 10 m.

Os sistemas RFID podem ser classificados pelo tipo de tag e leitor.

Passivasnão necessitam de alimentação interna. Sua energia vem do próprio sistema de leitura, através de indução magnética ou campo eletromagnético. Seu alcance típico dificilmente ultrapassa os 5 metros. São as mais comuns e amplamente utilizadas por um simples motivo: o custo.

Semipassivas: têm uma fonte de alimentação interna (bateria), apenas para a recepção de dados. Isso permite que sejam lidas sem a energia do leitor externo, fazendo-as serem capazes de trabalhar em ambientes com potência muito baixa de campo magnético. Isso reduz a quantidade de energia necessária para o sistema funcionar e também as interferências externas ao sistema. Como tem uma bateria interna, seu alcance pode chegar a 100m. São mais caras e não são utilizadas em larga escala.

Ativas: têm uma fonte de energia interna (bateria) e um transmissor. Alcance pode chegar a alguns quilômetros. São muito caras para produção em grande escala e utilizadas em sistemas específicos (CUNHA, 2016).

Os leitores fixos são configurados para criar uma zona de interrogação específica que pode ser controlada de forma estrita. Isso permite uma área de leitura altamente definida para quando as tags entram e saem da zona de interrogação.

Os leitores móveis podem ser manuais ou montados em carros ou veículos.

A tag (etiqueta) recebe o sinal do leitor e “responde” com sua identificação e outras informações armazenadas (pode ser apenas um número de série de etiqueta única, ou pode ser informações relacionadas ao produto, como um número de estoque, número de lote ou lote, data de produção ou outra informação específica).

Fonte: https://www.embarcados.com.br/rfid-etiquetas-com-eletronica-de-ponta/

CEBRASPE (2011):

QUESTÃO CERTA: As etiquetas RFID podem ser classificadas em três categorias: passivas, semipassivas e ativas. As etiquetas passivas não têm fonte de alimentação interna, enquanto que as etiquetas semipassivas e as etiquetas ativas possuem fontes de energia internas.

CEBRASPE (2011):

QUESTÃO ERRADA: A comunicação entre leitores e etiquetas, que constituem os elementos básicos dos sistemas RFID, pode ser realizada por meio de ondas sonoras, induzidas no momento em que leitores e etiquetas se aproximam fisicamente.

Se comunicam através de ondas eletromagnéticas usando o campo magnético próximo para isso.

INEP (2018):

QUESTÃO CERTA: A tecnologia de comunicação da etiqueta RFID (chamada de etiqueta inteligente) é usada há anos para rastrear gado, vagões de trem, bagagem aérea e carros nos pedágios. Um modelo mais barato dessas etiquetas pode funcionar sem baterias e é constituído por três componentes: um microprocessador de silício; uma bobina de metal, feita de cobre ou de alumínio, que é enrolada em um padrão circular; e um encapsulador, que é um material de vidro ou polímero envolvendo o microprocessador e a bobina. Na presença de um campo de radiofrequência gerado pelo leitor, a etiqueta transmite sinais. A distância de leitura é determinada pelo tamanho da bobina e pela potência da onda de rádio emitida pelo leitor. Disponível em: http://eletronicos.hsw.uol.com.br. Acessoem: 27 fev. 2012 (adaptado). A etiqueta funciona sem pilhas porque o campo: magnético da onda de rádio induz corrente na bobina.

Strategic Sourcing ou Compras Estratégicas

0

Para a Vunesp (2020): Strategic Sourcing ou Compras Estratégicas é o processo de desenvolvimento e gerenciamento da relação com fornecedores para aquisição de materiais e contratação de serviços, considerando o menor custo total, alinhada com a visão de negócios da organização. Seu objetivo é viabilizar a otimização da cadeia de suprimentos para disponibilizar melhores níveis de serviço e redução do custo total para os usuários.

São sete as etapas do strategic sourcing :

1 . Análise de necessidades e definição dos parâmetros

2 . Mapeamento de Suprimentos

3 . Análise de mercado e fornecedores

4 . Definição da estratégia de compra

5 . Cotação de produtos e serviços necessitados

6 . Negociação e definição de fornecedores

7 . Acordos e estratégia de evolução.

Cesgranrio (2018):

QUESTÃO CERTA: Considere um método ou ferramenta que avalia a complexidade para a compra de um determinado produto, bem ou serviço e realiza uma comparação com relação ao impacto que este possui no negócio. Tal método ou ferramenta refere-se a: Strategic Sourcing.

Strategic sourcing é um método de aquisições que avalia o custo total dos insumos (e não somente o menor preço) antes da efetivação de cada compra. Entre outras variáveis, são analisados o poder de negociação com fornecedores, a importância dos materiais para a empresa e os níveis de serviço.

O Strategic Sourcing ou Matriz Estratégica de Abastecimento é um método para avaliar a complexidade de obtenção de determinado produto, bens de consumo ou serviços no mercado versus o impacto que o mesmo traz para o negócio. Por meio desta análise podemos verificar e avaliar os custos internos e externos, rede de fornecimento e níveis de serviços prestados para determinado grupo de mercadoria ou família, com isso planejar ações específicas e estratégias distintas para cada um deles visando atender a necessidade da organização.

Fonte: Fabio Hoinaski

Disposição dos Arranjos Físicos (Layout)

0
  • Layout por posição fixa (ou layout posicional)

Esse é o caso em que a natureza do produto determina o layout de produção. Nesse tipo de configuração, o produto permanece parado enquanto os trabalhadores e máquinas se organizam ao redor dele, como na fabricação de aviões de grandes portes, foguetes e navios.

  • Layout por processo (ou layout funcional)

Esse arranjo físico agrupa processos e equipamentos das mesmas operações ou funções em uma única área, formando setores de trabalho específicos. É utilizado quando precisa se produzir em lotes com grande variação de peças ou ainda, quando pensamos em outros segmentos além da indústria, é possível encontrar esse layout em bancos, hospitais e mercados, no qual o cliente é direcionado ao setor específico para a sua necessidade.

  • Layout em linha (ou layout por produto)

Nesse modelo, as máquinas são dispostas lado a lado, seguindo a linha de produção, normalmente dedicada à fabricação de um tipo exclusivo de produto. Dessa forma, tudo acontece sempre da mesma maneira em uma sequência única. Podemos encontrar esse desenho na indústria automobilística e alimentícia, por exemplo.

  • Layout celular (híbrido)

Esse arranjo é um híbrido entre o layout em linha e o funcional. Cada célula é autossuficiente e autogerenciável e é responsável pela produção de determinado produto ou família de produtos, possuindo todas as ferramentas necessárias para o trabalho. Dessa forma, o processo inteiro é feito em um mesmo local, sem a necessidade de grandes movimentações.

Fonte: https://terzoni.com.br/leanblog/layout-de-producao/

FGV (2021)

QUESTÃO CERTA: A disposição dos arranjos físicos é uma questão chave com a qual o gestor deve lidar para garantir uma maior eficiência no processo produtivo da organização. Acerca dessa questão, assinale a afirmativa correta O arranjo posicional é ideal para a transformação de objetos de grande porte, como aviões.

O Que É Equidade Social?

0

CEBRASPE (2017):

QUESTÃO CERTA: No contexto de políticas públicas do Estado brasileiro, o conjunto de práticas que visam demolir barreiras sociais, culturais, econômicas e políticas que impliquem em exclusão ou desigualdade corresponde a: equidade social.

“A equidade social é a garantia da universalização de acesso aos direitos previstos em nossa Constituição e, portanto, chave para um projeto de sociedade justa e fraterna”.

Fonte: https://www.desenvolvimentosocial.sp.gov.br/a2sitebox/arquivos/documentos/1658.pdf

Sistema de Informações de Marketing (SIM)

0

Banca própria IF-SC (2019):

QUESTÃO ERRADA: Um sistema de informações de marketing (SIM) é constituído de pessoas, equipamentos e procedimento dedicados a coletar, classificar, analisar, avaliar e distribuir as informações coletadas no ambiente interno de maneira precisa e oportuna para aqueles que tomam as decisões de marketing.

FAU (2017):

QUESTÃO CERTA: Considerado uma parte do sub sistema de informação de marketing, o processo de pesquisa de marketing define o problema e os objetivos de pesquisa, e através de um plano de pesquisa coleta dados no mercado, analisa e apresenta as conclusões para complementar o SIM de uma empresa.

CEBRASPE (2004):

QUESTÃO CERTA: O macroambiente de marketing de uma empresa pode ser decomposto em quatro componentes: os ambientes econômico, tecnológico, legal e cultural.

Macroambiente e Microambiente

0

Macroambiente:

Demográfico: É o estudo da população humana em termos de tamanho, localização, densidade, idade, sexo, raça, ocupação e outros dados estatísticos. Este ambiente é de grande interesse para os profissionais de marketing porque envolve pessoas, e são as pessoas que constituem os mercados.

Econômico: Os mercados dependem tanto do poder de compra como dos consumidores. Este ambiente consiste em fatores que afetam o poder de compra e os hábitos de gasto do consumidor.

Natural: Inclui os recursos naturais que os profissionais de marketing usam como subsídios ou que são afetados pelas atividades de marketing.

Tecnológico: É talvez a força mais significativa que atualmente molda nosso destino. A pesquisa e o desenvolvimento são super necessários em uma empresa.

 Político/Legal: As decisões de marketing são seriamente afetadas pelo desenvolvimento do ambiente político. Este ambiente é constituído de leis, agências governamentais e grupos de pressão que influenciam e limitam várias organizações e indivíduos em uma dada sociedade.

Cultural: É constituído de instituições e outras forças que afetam os valores básicos, as percepções, as preferências e os comportamentos da sociedade.

Microambiente:

A Empresa: Ao fazer seus planos de marketing, a gerência de marketing leva em consideração outros grupos da empresa, tais como a administração de topo, os departamentos de finanças, pesquisa e desenvolvimento, compras, produção e contabilidade. Todos estes grupos formam o ambiente interno e, em conjunto, têm um impacto sobre os planos e as ações de marketing.

Os Fornecedores: Os fornecedores são um elo importante no sistema geral de entrega de valor da empresa ao consumidor. Eles provêem os recursos necessários para a empresa produzir seus bens e serviços, e podem afetar seriamente o marketing.

Os Intermediários: Os intermediários do marketing ajudam a empresa a promover, vender e distribuir seus bens aos compradores finais.

Os Clientes: A empresa deve estudar seus clientes de perto. Segundo Kotler, a empresa pode ter cinco tipos de clientes: o mercado consumidor; o mercado industrial; o mercado revendedor; o mercado governamental; e o mercado internacional.

Os Concorrentes: Os profissionais de marketing não devem apenas visar às necessidades dos consumidores-alvo; devem também alcançar vantagens estratégicas, posicionando suas ofertas contra as de seus concorrentes na cabeça dos consumidores.

Os Públicos: O ambiente de marketing da empresa inclui também vários tipos de público. O público é qualquer grupo que tenha interesse real ou potencial ou que cause impacto na capacidade da empresa de atingir seus objetivos. Kotler apresenta sete tipos de públicos: púbico financeiro; público da mídia; público do governo; público de defesa do consumidor; público local; e o público geral.

Fonte: https://tudosobremarketing.wordpress.com/2009/04/10/microambiente-e-macroambiente/

CEBRASPE (2004):

QUESTÃO CERTA: O macroambiente de marketing de uma empresa pode ser decomposto em quatro componentes: os ambientes econômico, tecnológico, legal e cultural.

Segundo o livro Administração de Marketing (Philip Kloter e Kevin Keller) o Macroambiente é formado por seis componentes: ambiente demográfico, econômico, sociocultural, natural, tecnológico e político-legal.

IADES (2014):

QUESTÃO CERTA: De acordo com o estudo sobre o macroambiente de marketing, ou seja, o ambiente externo da empresa, assinale a alternativa correta: A análise do ambiente externo é extremamente importante para o profissional de marketing, pois mesmo que ele não possa controlá-lo, consegue identificar variáveis importantes para o desenvolvimento de estratégias de mercado.

CESGRANRIO (2010)

QUESTÃO CERTA: Sob a ótica da administração de marketing, as empresas devem monitorar e administrar constantemente o macroambiente, para buscar oportunidades de mercado e se precaver de ameaças. Devem também identificar internamente suas forças e fraquezas estratégicas, no escopo do seu microambiente. Nesse sentido, qual tipo de força ambiental NÃO é relacionado ao macroambiente de marketing de uma empresa?

A) Concorrente.

B) Demográfico.

C) Econômico.

D) Natural.

E) Tecnológico.

Segundo o livro Administração de Marketing (Philip Kloter e Kevin Keller) o Macroambiente é formado por seis componentes: ambiente demográfico, econômico, sociocultural, natural, tecnológico e político-legal.

O Que É Megatendência?

0

Megatendência é uma mudança de longo prazo no hábito ou atitude do consumidor que impacta o mercado em diversos setores.

Banca própria IF-SC (2019):

QUESTÃO CERTA: Uma megatendência é uma grande mudança social, econômica, política e tecnológica que se forma lentamente e, uma vez estabelecida, passa a nos influenciar por algum tempo.

× Como posso te ajudar?