Trânsito em julgado e expedição de precatórios

0
368

QUESTÃO ERRADA: Se, antes do trânsito em julgado, ocorrer a estabilização da tutela antecipada requerida contra a fazenda pública, decorrente da não interposição de recurso pelo ente público, será possível a imediata expedição de precatório.

Afirmativa ERRADA. O trânsito em julgado da decisão é necessário para a expedição de precatório:

Enunciado 532 do FPPC – A expedição do precatório ou da RPV depende do trânsito em julgado da decisão que rejeita as arguições da Fazenda Pública executada.

Não é, porém, passível de remessa necessária a decisão que concede a tutela de urgência contra a Fazenda Pública. A estabilização, para ocorrer, não depende de remessa necessária. Isso porque a estabilização, como se viu, não se confunde com a coisa julgada. A remessa necessária é imprescindível para que se produza a coisa julgada. Além do mais, não cabe tutela de urgência contra o Poder Público nos casos vedados em lei e nos casos de pagamento de valores atrasados, que exija expedição de precatório ou de requisição de pequeno valor. Não sendo possível tutela de urgência com efeitos financeiros retroativos, a hipótese não alcança valor que exija a remessa necessária, aplicando sua hipótese de dispensa prevista no §3º do art. 496 do CPC (Cunha, Leonardo Carneiro da.  A fazenda Pública em juízo. 13ª ed. totalmente reformulada. Rio de Janeiro: Forense, 2016, p.316). 

Advertisement

Importante não confundir com o seguinte enunciado:

582. (arts. 304, caput; 5º, caput e inciso XXXV, CF): cabe estabilização da tutela antecipada antecedente contra a Fazenda Pública.

O que não poderá ocorrer é a expedição do precatório, pois para isto exige-se o trânsito em julgado.