Auditoria e Preparo da documentação

0
327

QUESTÃO CERTA: O objetivo do auditor é preparar documentação que forneça registro suficiente e apropriado do embasamento do relatório do auditor.

5. O objetivo do auditor é preparar documentação que forneça:

(a) registro suficiente e apropriado do embasamento do relatório do auditor; e

(b) evidências de que a auditoria foi planejada e executada em conformidade com as normas e as exigências legais e regulamentares aplicáveis.

QUESTÃO CERTA: A Companhia de Distribuição de Alimentos do Nordeste, por exigências legais, contratou o auditor independente para realizar a auditoria das demonstrações contábeis do exercício de 2014. Com relação à documentação de auditoria, nos termos das NBC TAs, o objetivo do auditor é preparar documentação que forneça: registro suficiente e apropriado do embasamento do relatório do auditor, e evidências de que a auditoria foi planejada e executada em conformidade com as normas e as exigências legais e regulamentares aplicáveis.

QUESTÃO CERTA: A documentação de auditoria deve ser preparada de maneira lógica e organizada de modo que um auditor experiente, que não tenha se envolvido com a auditoria, entenda

I a natureza, a época e a extensão dos procedimentos de auditoria executados.

II os resultados dos procedimentos de auditoria executados e a evidência de auditoria obtida.

III os assuntos significativos identificados durante a auditoria.

IV as conclusões que ficarão sob sigilo absoluto e indisponíveis inclusive à diretoria da entidade auditada.

Estão certos apenas os itens: I, II e III.

NBC TA 230, 8

O auditor deve preparar documentação de auditoria que seja suficiente para permitir que um auditor experiente, sem nenhum envolvimento anterior com a auditoria, entenda (ver itens A2 a A5 e A16 e A17):

(a) a natureza, época e extensão dos procedimentos de auditoria executados para cumprir com as normas de auditoria e exigências legais e regulamentares aplicáveis;

(b) os resultados dos procedimentos de auditoria executados e a evidência de auditoria obtida; e

(c) assuntos significativos identificados durante a auditoria, as conclusões obtidas a respeito deles e os julgamentos profissionais significativos exercidos para chegar a essas conclusões.

QUESTÃO CERTA: Ao estabelecer a forma, o conteúdo e a extensão da documentação de auditoria, o auditor poderá ignorar: a quantidade de sócios da entidade auditada.

A questão trata dos fatores que devem ser levados em consideração na preparação da documentação de auditoria quanto à forma, ao conteúdo e à extensão dessa documentação, segundo a NBC TA 230(R1). Veja:

Forma, conteúdo e extensão da documentação de auditoria

 A2.  A forma, o conteúdo e a extensão da documentação de auditoria dependem de fatores como:

(a) tamanho e complexidade da entidade;

(b) natureza dos procedimentos de auditoria a serem executados;

(c) riscos identificados de distorção relevante;

(d) importância da evidência de auditoria obtida;

(e) natureza e extensão das exceções identificadas;

(f) necessidade de documentar a conclusão ou a base da conclusão não prontamente determinável a partir da documentação do trabalho executado ou da evidência de auditoria obtida;

(g)   metodologia e as ferramentas de auditoria usadas.

Nesse tipo de questão devemos nos preocupar com a literalidade da norma. Dessa forma, concluímos que ao definir a forma, o conteúdo e a extensão da documentação de auditoria, o auditor pode ignorar a quantidade de sócios da entidade auditada.

Exemplos do que não pode ser ignorado:

  • A natureza e a extensão das exceções identificadas.
  • Os riscos de distorção relevantes identificados.
  • O tamanho e a complexidade da entidade.
  • A metodologia de auditoria utilizada.

QUESTÃO CERTA: O auditor designado para planejar a supervisão dos membros da equipe de auditoria poderá, em seu planejamento, ignorar: as auditorias anteriormente realizadas.

Exemplos do que não ignorar:

  • A área da auditoria
  • Os riscos de distorções relevantes.
  • A capacidade dos membros individuais da equipe.
  • O porte e a complexidade da entidade.

Questão aborda aspectos que devem ser considerados no planejamento de auditoria, segundo a NBC TA 300(R1). Veja:

Direcionamento, supervisão e revisão (ver item 11)

A16. A natureza, à época e a extensão do direcionamento e da supervisão dos membros da equipe e a revisão do seu trabalho podem variar dependendo de diversos fatores, incluindo:

(a) o porte e a complexidade da entidade;

(b) a área da auditoria;

(c) os riscos de distorções relevantes (por exemplo, um aumento no risco de distorções relevantes para uma dada área de auditoria costuma exigir um correspondente aumento na extensão e no direcionamento e supervisão tempestiva por parte dos membros da equipe e uma revisão mais detalhada do seu trabalho);

(d) a capacidade e a competência dos membros individuais da equipe que realiza o trabalho de auditoria.

Confrontando-se a norma supracitada e as alternativas, a única que não faz parte desse rol é as auditorias anteriormente realizadas, por ausência de disposição normativa. Questão extraída literalmente dessa norma.

QUESTÃO ERRADA: No planejamento da auditoria de demonstrações contábeis, o auditor deve definir uma estratégia global para o trabalho e preparar documentação que permita que qualquer usuário entenda os procedimentos a serem executados para o cumprimento das normas de auditoria.

Advertisement

Os papeis de trabalho ou documentação de auditoria deve ser feito de forma que qualquer auditor entenda, e não usuário.

NBC TA 230 – DOCUMENTAÇÃO DE AUDITORIA

 8. O auditor deve preparar documentação de auditoria que seja suficiente para permitir que um auditor experiente, sem nenhum envolvimento anterior com a auditoria, entenda (ver itens A2 a A5 e A16 e A17):

  (a) a natureza, época e extensão dos procedimentos de auditoria executados para cumprir com as normas de auditoria e exigências legais e regulamentares aplicáveis (ver itens A6 e A7);

  (b) os resultados dos procedimentos de auditoria executados e a evidência de auditoria obtida; e

  (c) assuntos significativos identificados durante a auditoria, as conclusões obtidas a respeito deles e os julgamentos profissionais significativos exercidos para chegar a essas conclusões (ver itens A8 a A11).

QUESTÃO CERTA: Com referência à auditoria das demonstrações contábeis, julgue o item a seguir: ao planejar e executar a auditoria de demonstrações contábeis, o auditor deve considerar as circunstâncias envolvidas, a magnitude e a natureza das distorções, ou a combinação de ambos.

planejamento da auditoria inclui a necessidade de considerar a determinação da materialidade (fonte: NBC TA 300); julgamentos sobre materialidade são feitos à luz das circunstâncias envolvidas, e são afetados pela magnitude e natureza das distorções, ou a combinação de ambos. (Fonte: NBC TA 320)

.

Fundamentação completa:

De acordo com a NBC TA 300 – Planejamento da Auditoria das Demonstrações Contábeis:

“Por exemplo, o planejamento inclui a necessidade de considerar, antes da identificação e avaliação pelo auditor dos riscos de distorções relevantes, aspectos como:

(a) os procedimentos analíticos a serem aplicados como procedimentos de avaliação de risco;

(b|) obtenção de entendimento global da estrutura jurídica e o ambiente regulatório aplicável à entidade e como a entidade cumpre com os requerimentos dessa estrutura;

(c) a determinação da materialidade;

(d) o envolvimento de especialistas;

(e) a aplicação de outros procedimentos de avaliação de risco.”

Já de acordo com a NBC TA 320 – Materialidade no Planejamento e na Execução da Auditoria:

“Materialidade no contexto de auditoria

“2. A estrutura de relatórios financeiros frequentemente discute o conceito de materialidade no contexto da elaboração e apresentação de demonstrações contábeis. Embora a estrutura de relatórios financeiros discuta materialidade em termos diferentes, ela em geral explica que:

– Distorções, incluindo omissões, são consideradas relevantes quando for razoavelmente esperado que essas possam, individualmente ou em conjunto, influenciar as decisões econômicas de usuários tomadas com base nas demonstrações contábeis;

 Julgamentos sobre materialidade são feitos à luz das circunstâncias envolvidas, e são afetados pela magnitude e natureza das distorções, ou a combinação de ambos; e

– Julgamentos sobre quais assuntos são relevantes para usuários das demonstrações contábeis são baseados em considerações sobre as necessidades de informações financeiras comuns a usuários como um grupo. Não é considerado o possível efeito de distorções sobre usuários individuais específicos, cujas necessidades podem variar significativamente.”