Auditoria e Circularização (confirmação externa)

0
3386

NBCTA 500 – Confirmação externa

A18. Uma confirmação externa representa evidência de auditoria obtida pelo auditor como resposta escrita de terceiro (a parte que confirma) ao auditor, em forma escrita, eletrônica ou em outra mídia. Os procedimentos de confirmação externa frequentemente são relevantes no tratamento de afirmações associadas a certos saldos contábeis e seus elementos. Contudo, as confirmações externas não precisam se restringir apenas a saldos contábeis. Por exemplo, o auditor pode solicitar confirmação de termos de contratos ou transações da entidade com terceiros; a solicitação de confirmação pode ser planejada para perguntar se foram efetuadas quaisquer modificações no contrato e, em caso afirmativo, quais são os detalhes relevantes. Os procedimentos de confirmação externa também são utilizados para a obtenção de evidência de auditoria a respeito da ausência de certas condições, por exemplo, a ausência de acordo paralelo (side agreement) que possa influenciar o reconhecimento da receita.

Definição de Circularização: confirmação, junto a terceiros, de fatos alegados pela entidade.

Há dos tipos: POSITIVO NEGATIVO

Positivo: quando há necessidade de resposta.

Negativo: quando a resposta for necessária em caso de discordância.

VUNESP (2023):

QUESTÃO CERTA: Um auditor elaborou documento a ser enviado, pela empresa auditada, ao banco do qual esta é correntista, contendo os seguintes dizeres: “Prezado(s) Senhor(es) Exclusivamente para fins de conferência, solicitamos informar, diretamente a empresa de auditoria Fulano Auditores Associados Sociedade Simples, cito à Rua dos Auditores, nº 100, Pindamonhangaba-SP, os saldos ou posições das contas mantidas nesse estabelecimento por nossa empresa, em 31 de dezembro de 2022, dentre: a) contas correntes; b) contas vinculadas, garantidas e especiais; c) títulos descontados, caucionados e em cobrança; d) outras contas. Atenciosamente,” A respeito dessa situação, é correto afirmar que o documento elaborado pelo auditor se trata de: carta de circularização.

CEBRASPE (2008):

QUESTÃO CERTA: Na técnica confirmação externa, a informação obtida de fonte externa oferece ao auditor maior grau de confiança do que a verificação efetuada na própria empresa. Essa técnica é também conhecida como circularização.

CEBRASPE (2005):

QUESTÃO CERTA: A circularização de informações externas para confirmar a fidedignidade de dados obtidos internamente é uma técnica de auditoria denominada confirmação externa.

CEBRASPE (2019):

QUESTÃO CERTA: Assinale a opção que apresenta, respectivamente, a denominação correta de cada um desses procedimentos: circularização: realizar a confirmação com terceiros de fatos alegados pela entidade fiscalizada.

“Circularização (Confirmação externa): É a técnica utilizada na obtenção de declaração formal e independente de pessoas não ligadas à empresa, a fim de confirmar uma transação. A Circularização consiste em fazer com que a empresa auditada expeça cartas dirigidas para as pessoas ou empresas com as quais mantém relações de negócios, solicitando que confirmem em carta dirigida ao auditor, a situação desses negócios em determinada data.”

CEBRASPE (2008):

QUESTÃO ERRADA: A circularização de ativos sempre se revela mais eficaz, pois o credor tem mais interesse em confirmar seu crédito ou, até mesmo, em apontar possíveis irregularidades.

Quando falar em credor é circularização de passivo

A circularização de ativos sempre se revela mais eficaz, pois o credor tem mais interesse em confirmar seu crédito ou, até mesmo, em apontar possíveis irregularidades. ERRADA

A circularização de passivos sempre se revela mais eficaz, pois o credor tem mais interesse em confirmar seu crédito ou, até mesmo, em apontar possíveis irregularidades. CORRETA

Cuidado com questões que parecem corretíssimas, mas que escondem um perigo para o candidato. É a circularização de passivos que deve ser feita com os credores, e não a de ativos.

CEBRASPE (2007):

QUESTÃO ERRADA: O auditor interno deve verificar a fidedignidade de informações obtidas de seu gestor por meio da circularização, que consiste em confirmar, na fonte, essas informações.

CEBRASPE (2011):

QUESTÃO ERRADA: Entende-se por inspeção física a técnica preferencialmente utilizada pela auditoria para a verificação da existência de bens da propriedade de uma empresa em poder de terceiros.

CEBRASPE (2016):

QUESTÃO CERTA: A circularização de fornecedores é um procedimento empregado na auditoria de contas do passivo para confirmar a existência da obrigação.

FCC (2017):

QUESTÃO CERTA: Obter confirmação dos saldos e transações de contas em análise, por pessoa alheia e independente é um procedimento de auditoria conhecido por: circularização.

CEBRASPE (2013):

QUESTÃO CERTA: Considere que, ao examinar as despesas realizadas por uma entidade, um auditor tenha encontrado indícios de irregularidade na escrituração de determinada operação. Nessa situação, ao constatar a impossibilidade de confirmação externa, o auditor deve verificar a documentação correspondente, averiguando sua autenticidade e legitimidade, bem como deve verificar a pertinência da transação ao objeto social e a habitualidade e razoabilidade da operação.

CESGRANRIO (2014):

QUESTÃO CERTA: A opinião do auditor precisa estar fundamentada em fatos comprovados, evidências factuais e informações irrefutáveis. Considere um auditor que precisa certificar-se de (i) informações relativas a empréstimos contraídos pela entidade auditada, tais como: valores amortizados, atualização monetária e juros e (ii) precisão dos valores apresentados de equivalência patrimonial sobre os investimentos. Esse auditor deve recorrer, respectivamente, às técnicas de:  circularização e de conferência de cálculos.

  • Circularização: é a confirmação, junto a terceiros, de fatos alegados pela entidade.
  • Conferência de cálculo ou recálculo: é a conferência de operações que envolvam cálculos.

CEBRASPE (2008):

QUESTÃO ERRADA: O auditor dispõe de dois tipos diferentes de circularização: aparente e oculta.

ERRADO.  O auditor dispõe de dois tipos diferentes de circularização:

Circularização positiva é aquela em que o auditor sempre espera receber uma resposta, confirmando, ou não, o saldo ou posição demonstrada. É empregada nas cartas aos advogados da empresa, indagando sobre eventuais ações em andamento, companhias de seguro, para avaliar a suficiência da cobertura contratada, e contas do passivo.

Circularização negativa somente prevê resposta em caso de discordância da fonte externa em relação ao saldo informado. É utilizada para testar a eficiência de controles internos na seção de crédito e cobrança, e para contas do ativo compostas por muitos itens, mas de pequeno valor individualmente. A eficácia deste tipo de circularização depende da eficácia do serviço local de correio.

FCC (2014):

QUESTÃO CERTA: A equipe técnica de um determinado Tribunal de Contas deseja confirmar a correção do montante a pagar, registrado no Balanço Patrimonial de 31 de dezembro de 2013, ao fornecedor de gêneros alimentícios em uma das Prefeituras sujeitas à sua fiscalização. A técnica de auditoria a ser aplicada para obter esta confirmação denomina-se: circularização.

A conta Fornecedores, assim como Clientes, Bancos e Advogados são as principais contas em que se utiliza a técnica de circularização, também chamada de Confirmação Externa.

FCC (2010):

QUESTÃO CERTA: Fazer com que empresa auditada envie cartas dirigidas para empresas com as quais mantenha relações de negócios, solicitando que estas confirmem, em carta dirigida ao auditor, a situação desses negócios em determinada data, se refere à aplicação da técnica de auditoria chamada de: circularização.

Banca própria IF-CE (2012):

QUESTÃO ERRADA: A verificação junto a fontes externas ao auditado da fidedignidade das informações obtidas internamente corresponde a técnica denominada rastreamento.

CEBRASPE (2018):

QUESTÃO CERTA: Na auditoria, a técnica de obtenção de evidência documental que consiste na confirmação de informações obtidas junto ao auditado por parte de fontes externas à unidade auditada é denominada: circularização.

CEBRASPE (2016):

QUESTÃO ERRADA: A circularização de contas a receber é um dos procedimentos mais adotados pelo auditor. O pedido de confirmação positivo consiste em solicitar que o credor responda somente quando a informação estiver correta.

circularização é a confirmação, junto a terceiros, de fatos alegados pela entidade auditada. No planejamento dos trabalhos, a equipe de auditoria deve considerar as partes externas que podem ser circularizadas e os objetivos de fiscalização que poderão ser satisfeitos pela circularização. Peter e Machado (2008): “É a técnica utilizada na obtenção de declaração formal e independente, de pessoas não ligadas ao órgão/entidade, seja por interesses comerciais ou afetivos, de fatos ligados às operações do mesmo. ”

Há dois tipos de pedidos de confirmação: positivo e negativo

O pedido de confirmação positivo é utilizado quando se espera uma resposta do demandado, seja de concordância ou de discordância.

O pedido de confirmação negativo é utilizado quando a resposta for necessária em caso de discordância da pessoa de quem se quer obter a confirmação, ou seja, na falta de confirmação, o auditor entende que a pessoa concorda com os valores colocados no pedido de confirmação.

pedido de confirmação positivo pode ser branco ou preto:

Branco é aquele no qual os valores devem ser “preenchidos” pelo demandado.

Preto é aquele no qual os valores já constam do pedido e devem apenas ser confirmados. 

CEBRASPE (2008):

QUESTÃO ERRADA: A circularização é um dos procedimentos utilizados em exames de auditoria interna ou externa. A circularização negativa é utilizada quando há a necessidade de resposta da pessoa ou do departamento de quem se quer obter uma confirmação formal. Quando o pedido da circularização negativa é preto, não se coloca os valores nos pedidos de confirmação.

As cores preto e branco se referem ao pedido positivo, não ao negativo.

CEBRASPE (2011):

QUESTÃO ERRADA: Denomina-se solicitação de confirmação negativa a solicitação por meio da qual o auditor requer a terceiro que confirme não ter realizado transações ou não ter pendências com a entidade auditada.

O auditor vai na instituição e se depara com, por exemplo, um monte de registros contábeis na conta do balanço patrimonial denominada “contas a receber” (e, cético, se pergunta: será que todo esse “dinheiro a receber” existe mesmo?). O auditor, então, realiza o procedimento de circularização ou confirmação externa. Basicamente, com a anuência dessa instituição auditada, o auditor entra em contato com os fornecedores dela para se certificar de que eles devem mesmo tanta bufunfa a ela – ou seja, almeja checar informações contábeis com a realidade. Daí surgem as classificações que a provas perguntam: que tipo de pedido é esse? Do tipo positivo ou negativo? É negro ou branco? E aí você fica doido (a) com tanta denominação técnica. Grosso modo, no pedido positivo branco é para respostas abrangentes (não damos dados), o positivo negro é provido de dado e questionamos a se informação procede (e se não procede explicar o porquê). Por fim, temos o pedido negro em que o requerido apenas responde se a informação em nossa solicitação estiver errada.

O terceiro pode ser solicitado a:

Fornecer informações abrangentes (forma indefinida ou positiva em branco);

Confirmar a informação constante na solicitação ou esclarecer a razão da incorreção (forma positiva ou positiva em preto);

Responder apenas se a informação constante na solicitação for incorreta (forma negativa).

Confirmações de auditoria:

I. positivo – Necessidade de resposta da pessoa de quem se quer obter uma confirmação formal:

Branco: quando não se colocam valores nos pedidos de confirmação;

Preto: quando utilizados saldos ou valores a serem confirmados na data-base indicada;

II. negativo – Necessária em caso de discordância da pessoa de quem se quer obter a confirmação.

– Usado como complemento do pedido de confirmação positivo;

– Deve ser expedido como carta registrada;

OBS:

1- Não é o auditado que responde ao pedido de confirmação;

2 -Resposta parte do terceiro que detenha a informação procurada;

3- Portanto: nem sempre é necessário que o auditado responda aos pedidos de confirmação solicitados pelo auditor.

Banca própria UEG (2006):

QUESTÃO CERTA: A confirmação é um procedimento de auditoria que resulta na obtenção de declaração formal e imparcial de pessoas independentes à empresa as quais estão habilitadas a confirmar informações solicitadas pelo auditor. O pedido de confirmação pode ser: positivo e negativo.

CEBRASPE (2016):

QUESTÃO CERTA: O pedido de confirmação positivo do tipo preto é um procedimento de auditoria em que se requer de terceiros manifestação, formal e imparcial, em relação à sua concordância ou não com os saldos ou valores contábeis apresentados no pedido de confirmação.

FCC (2006):

QUESTÃO CERTA: O pedido de confirmação no qual o auditor solicita que o destinatário responda apenas em caso de não concordar com a informação que lhe está sendo fornecida é denominado: negativo.

CEBRASPE (2011):

QUESTÃO CERTA: Durante a execução de seu trabalho, um auditor constatou que o órgão auditado disponibilizou bens a uma instituição privada por conta da realização de determinado convênio. Por desc onfiança em relação à operação, esse auditor resolveu, apropriadamente, efetuar um pedido de confirmação, sem especificar os bens e respectivos valores, mas dos quais julgou não poder abrir mão da confirmação formal. Nessa situação hipotética, a técnica utilizada é denominada confirmação ou circularização positiva em branco.

Advertisement

CEBRASPE (2016):

QUESTÃO CERTA: Nem sempre é necessário que o auditado responda aos pedidos de confirmação solicitados pelo auditor.

Evidentemente que o enunciado não é um dos mais felizes, já que conforme esclarecido pelos outros colegas em consonância com a NBC TA 505, a “Confirmação externa é a evidência de auditoria obtida como resposta (…)de um terceiro (a parte que confirma) ”, é bem provável que o sentido da questão é no que se concerne a eventual autorização ou desautorização do auditado para que o auditor obtenha confirmações externas com terceiros

E de fato, nem sempre é necessário que o auditado autorize a confirmação a terceiros solicitado pelo auditor.

Na própria NBC TA 505, temos:

“A8.  A recusa da administração em permitir que o auditor envie solicitações de confirmação constitui uma limitação sobre a evidência de auditoria que o auditor deseja obter.”

CEBRASPE (2016):

QUESTÃO ERRADA: A circularização de contas a receber é um dos procedimentos mais adotados pelo auditor. O pedido de confirmação positivo consiste em solicitar que o credor responda somente quando a informação estiver correta.

O pedido de confirmação positivo é utilizado quando se espera uma resposta do demandado, seja de concordância ou de discordância.

O pedido de confirmação negativo é utilizado quando a resposta for necessária em caso de discordância da pessoa de quem se quer obter a confirmação, ou seja, na falta de confirmação, o auditor entende que a pessoa concorda com os valores colocados no pedido de confirmação.

CEBRASPE (2014):

QUESTÃO CERTA: O pedido de confirmação positivo, considerado uma evidência de qualidade melhor que o negativo, é mais indicado para as contas de clientes e fornecedores cujo saldo seja de grande valor ou que apresentem maiores indícios de erros.

Segundo a NBC TA 505, as confirmações negativas fornecem evidência de auditoria menos persuasiva que as confirmações positivas. Nesse sentido, se os valores são altos e/ou o risco é maior o auditor precisa de evidências mais robustas, sendo mais indicada a utilização da confirmação positiva.

CEBRASPE (2013):

QUESTÃO ERRADA: Se houver dúvidas sobre créditos registrados no ativo de uma entidade, o auditor agirá de modo apropriado caso recomende ao dirigente do órgão que expeça um pedido de confirmação negativo em branco ao suposto devedor.

Simplesmente não existe CONFIRMAÇÃO NEGATIVA EM BRANCO, as ditas modalidades “em branco” e “em preto” existem somente na CONFIRMAÇÃO POSITIVA

EM BRANCO: pede confirmação (ação, positiva) SEM expressar valores a serem confirmados.
EM PRETO: pede confirmação (ação, positiva) expressando valores a se confirmar.

Assim, POSITIVA – HÁ RESPOSTA OBRIGATÓRIA.

EM PRETO

Exemplo: “A Price Waterhouse Auditores solicita da Gillette do Brasil confirmar o valor de R$ 455.324,00 de saldo em duplicatas a receber do Carrefour Supermercados em 31/12/2008? ”

OK / NOK

EM BRANCO

Exemplo: “A Price Waterhouse Auditores solicita da Gillette do Brasil informar qual o saldo que possuía em duplicatas a receber do Carrefour Supermercados em 31/12/2008? ”

R$ 455.324,00

NEGATIVA – RESPOSTA SÓ NO CASO DE DISCORDAR.

CEBRASPE (2014):

QUESTÃO CERTA: O pedido de confirmação positivo, considerado uma evidência de qualidade melhor que o negativo, é mais indicado para as contas de clientes e fornecedores cujo saldo seja de grande valor ou que apresentem maiores indícios de erros.

CFC (2014):

QUESTÃO CERTA: Diante da falta de resposta para um pedido de confirmação positiva, a auditoria deverá executar procedimentos alternativos para obter evidências de auditoria relevante e confiável.

Aprova a NBC TA 505 – Confirmações Externas.

12. Para cada resposta não recebida, o auditor deve executar procedimentos alternativos de auditoria para obter evidência de auditoria relevante e confiável.

10. Se o auditor identificar fatores que dão origem a dúvidas sobre a confiabilidade da resposta a uma solicitação de confirmação, o auditor deve obter evidência adicional de auditoria para resolver essas dúvidas (ver itens A11 a A16).

11. Se o auditor determinar que uma resposta a uma solicitação de confirmação não é confiável, o auditor deve avaliar as implicações na avaliação dos riscos significativos de distorção relevante, incluindo o risco de fraude, e sobre a natureza, época e extensão relacionada a outros procedimentos de auditoria (ver item A17).

CFC (2014):

QUESTÃO CERTA: A recusa da administração em permitir o envio de solicitações de confirmação de uma informação que permita a validação de um saldo contábil será desconsiderada em qualquer hipótese.

8. No caso da ADMINISTRAÇÃO SE RECUSAR a permitir que o auditor envie solicitações de confirmação, o auditor deve:

(a)   indagar sobre as razões da recusa da administração e procurar evidência de auditoria sobre sua validade e razoabilidade;

(b)   avaliar as implicações da recusa da administração na avaliação do auditor dos riscos significativos de distorção relevante, incluindo o risco de fraude, e sobre a natureza, época e extensão de outros procedimentos de auditoria; e

(c)   executar procedimentos alternativos de auditoria definidos para obter evidência de auditoria relevante e confiável.

CEBRASPE (2019):

QUESTÃO CERTA: Com o objetivo de confirmar os saldos bancários apresentados, o auditor, por meio de cartas registradas, solicita as informações pertinentes às instituições bancárias das quais a empresa auditada seja cliente. Nesse caso, o auditor realiza uma: circularização.

ESAF (2008):

QUESTÃO CERTA: A empresa Grande Porte S.A. tem o seu Ativo formado em 15% pelo Contas a Receber e 35% composto pelos Estoques. Dessa forma, a auditoria contratada, ao realizar seus serviços, deve: realizar o procedimento de circularização para confirmação dos saldos de contas a receber e acompanhar o inventário físico realizado pela entidade.

O procedimento de auditoria nas contas a receber mais viável é a circularização aos fornecedores para confirmação dos débitos e valores a pagar. E aos estoques a inspeção e a contagem são os procedimentos de auditoria mais viáveis.

CEBRASPE (2009):

QUESTÃO ERRADA: A confirmação externa (circularização) oferece menor grau de confiança que a verificação efetuada na própria empresa.

A circularização, é uma técnica utilizada pelos auditores para confirmar informações constantes das demonstrações contábeis com agentes externos segue um exemplo: Ao fazer a análise de uma rubrica contábil, por exemplo o “Contas a Pagar”, e querendo verificar se os valores ali constantes são os efetivamente devidos, o auditor encaminha correspondência a todos os credores, ou a uma parte deles, solicitando informações sobre as pendências que ele tem com a empresa auditada. De posse das respostas, faz o confrontamento com os registros contábeis, para ter uma visão da verdadeira situação da rubrica. Havendo divergências entre os registros, caberá ao auditor caracterizar esses pontos e desenvolver ações investigativas para encontrar os números verdadeiros e o que deu causa às diferenças. Então a circularização não oferece menor grau de confiança e sim ajuda a ter maior confiança nas contas das demonstrações contábeis porque vai atrás de avaliar as contas se são verdadeiras ou não.

CEBRASPE (2010):

QUESTÃO CERTA: A confirmação ou circularização é uma técnica de auditoria que envolve respostas formuladas por terceiros. No que se refere a essa técnica, é correto afirmar que: a evidência assim obtida se caracteriza por sua objetividade e provém de fonte independente.

VUNESP (2023):

QUESTÃO CERTA: De acordo com as normas de auditoria e de forma prática, a evidência de auditoria é mais confiável quando é obtida de fontes independentes externas à entidade, no caso uma confirmação externa, conhecida também como carta de circularização. Esse procedimento de auditoria é fundamental para a confirmação de determinados saldos contábeis apresentados no balanço de uma entidade. Nesse caso, a confirmação externa ou a circularização, como procedimento de auditoria, é aplicável para a seguinte rubrica das demonstrações contábeis, verdadeiramente:

a)  Caixa.

Incorreto. Não se utiliza a circularização para caixa, conforme livro auditoria: um curso moderno e completo / marcelo cavalcanti almeida. – 8. Ed. – são paulo : atlas, 2012.

Ressalte-se que para a conta bancos, pode ser utilizada a circularização.

b)  Despesas antecipadas.

Incorreto. Não se utiliza a circularização para despesas antecipadas, conforme livro auditoria: um curso moderno e completo / marcelo cavalcanti almeida. – 8. Ed. – são paulo : atlas, 2012.

 c)  Capital.

Incorreto. Não se utiliza a circularização para despesas antecipadas, conforme livro auditoria: um curso moderno e completo / marcelo cavalcanti almeida. – 8. Ed. – são paulo : atlas, 2012

d)  Custos.

Incorreto. Não se utiliza a circularização para custos, conforme livro auditoria: um curso moderno e completo / marcelo cavalcanti almeida. – 8. Ed. – são paulo : atlas, 2012.

e)  Contingência tributárias.

Correto. Trata-se de uma rubrica que utiliza a circularização como procedimento de auditoria, conforme livro auditoria contábil : teoria e prática / silvio aparecido crepaldi; guilherme simões crepaldi – 10. Ed. – são paulo : atlas, 2016.

CONTINGÊNCIAS

A circularização dos consultores jurídicos é uma forma de o auditor obter confirmação independente das informações fornecidas pela administração referentes a situações relacionadas a litígios, pedidos de indenização ou questões tributárias. As respostas recebidas do departamento jurídico da entidade, ou de seus consultores internos, quando estes não forem os patronos das causas, mas as acompanham, servem de evidência para o auditor avaliar se a administração adotou os procedimentos adequados para a contabilização e/ou divulgação dos passivos não registrados e/ou das contingências (ativas ou passivas). No entanto, essas respostas não devem ser consideradas como evidências definitivas ou substitutas, no caso da recusa dos consultores jurídicos externos em responder ao pedido, principalmente se formalizadas. Quando advogados internos (ou o departamento competente) forem os patronos da causa, todavia, é adequado que respondam às cartas.


Fonte: Prof. Luis kayanoki.