Amostra e Volume de Transações

0
117

Última Atualização 18 de novembro de 2020

É importante saber a relação entre amostra e volume de transações (efetuadas por uma organização). A banca examinadora CEBRASPE / CESPE costuma perguntar sobre isso. Observe a seguinte norma:

NBC-T-11

11.11.2.1.1. A amostra selecionada pelo auditor deve ter relação direta com o volume de transações realizadas pela entidade na área ou na transação objeto de exame, como também com os efeitos nas posições patrimonial e financeira da entidade e o resultado por ela obtido no período.

QUESTÃO ERRADA: No caso de amostragem estatística, ao efetuar o planejamento da amostra, o auditor deve levar em consideração o volume de transações que irá auditar, para que, em seguida, sejam aplicados os procedimentos de auditoria sobre a amostra selecionada. No caso da amostragem não-estatística, o volume de transações não será considerado como parâmetro.

A norma acima não diz nada sobre não ser possível associar o volume de transações à abordagem X ou Y. Amostra e volume de transações têm tudo a ver – e, consequentemente, a amostragem (procedimento) também.

Veja outra assertiva equivocada que nega esse aspecto.

QUESTÃO ERRADA: O volume e o valor das transações são irrelevantes para definição das amostras.

Irrelevantes nada! Tem tudo a ver. Mais uma questão relacionada:

QUESTÃO CERTA: A avaliação do volume de transações da empresa a ser auditada deve ser feita para que o auditor independente tenha, entre outros requisitos, o conhecimento e o dimensionamento mais adequados dos testes a serem aplicados e dos períodos em que tais volumes são mais significativos.

Essa questão trata de uma norma revogada, mas cabe citá-la:

NBC T 11.4/2005 ,11.4.3.17 – A avaliação do volume de transações deve ser feita para que o auditor independente tenha:

 a) o conhecimento e o dimensionamento mais adequados dos testes a serem aplicados e dos períodos em que tais volumes são mais significativos;

b) a identificação de como as normas internas são seguidas, as suas diversas fases, as pessoas envolvidas e os controles internos adotados sobre elas; e

c) a definição das amostras a serem selecionadas e a noção da existência de um grande volume de transações de pequeno valor ou de um volume pequeno de transações, mas com valor individual significativo.

Veja uma questão da CEBRASPE que foge um pouco do que discutimos acima, mas que reconheço estar, de certa forma, relacionada ao tópico ‘volume de transações’:

 QUESTÃO ERRADA: Na auditoria das contas do patrimônio líquido, recomenda-se a aplicação de testes ou amostragem, dados o seu caráter recorrente e a quantidade de operações.

O erro dessa questão está em afirmar que as contas do patrimônio líquido têm um caráter recorrente e uma grande quantidade de operações.

O PL é a diferença entre o ativo e passivo. Onde ocorre muitas transações são as classes de ativo e passivo, campo em que surgem conversões o tempo todo. Carro convertido em dinheiro, dívidas que são extintas e o caixa que diminui ao mesmo tempo, etc.

Resumo: lembrar que amostra e volume de transações tem tudo a ver.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui