Auditoria interna: Assessoria ao Conselho Fiscal

0
438

NBC P3 – Normas Profissionais do Auditor Interno

3.3.4 – Cabe também ao auditor interno, quando solicitado, prestar assessoria ao Conselho Fiscal ou Órgãos equivalentes.

QUESTÃO ERRADA: O auditor interno, assim como o externo, deve ser zeloso e imparcial, e deve evitar prestar assessoria ao conselho fiscal, em função do princípio da segregação.

QUESTÃO ERRADA: Em relação ao exercício da auditoria interna, o auditor interno deve: manter a sua autonomia profissional, não prestando assessoria ao Conselho Fiscal.

QUESTÃO CERTA: De acordo com a NBC PI 01, aprovada pela Resolução 781/95, o auditor interno deve adotar o procedimento a seguir: Ter o máximo de cuidado, imparcialidade e zelo na realização dos trabalhos e na exposição das conclusões e, quando solicitado, prestar assessoria ao Conselho Fiscal ou órgãos equivalentes.

QUESTÃO CERTA: Cabe ao auditor interno, quando solicitado, prestar assessoria ao conselho fiscal ou a órgãos equivalentes.

QUESTÃO CERTA:

I. A amplitude do trabalho e responsabilidade estão limitadas à área de atuação.

II. Prestar assessoria ao Conselho Fiscal da entidade ou órgão equivalente, se solicitado.

Advertisement

III. Dever de manter sigilo mesmo depois de terminado seu vínculo empregatício ou contratual.

Nos termos da NBC PI 01, aplica-se ao auditor interno o que consta em: I, II e III.

QUESTÃO ERRADA: O auditor interno deve preservar sua autonomia profissional, logo não lhe cabe prestar assessoria ao conselho fiscal ou a órgãos equivalentes.

O complicado dessa questão é que ela versa sobre uma matéria que já é antiga, e cobra a sua literalidade. Por enquanto, precisamos adivinhar o que estudar, pois o CFC já orienta estudarmos pelas novas normas.

Trata-se da NBC P 3, que cita:


3.2.1 – O auditor interno, não obstante sua posição funcional, deve preservar sua autonomia profissional.

mas 

3.3.4 – Cabe também ao auditor interno, quando solicitado, prestar assessoria ao Conselho Fiscal ou Órgãos equivalentes.