Auditoria e Contagem de Caixa

0
1649

Alguns dos procedimentos que poderão ser utilizados durante a execução do trabalho de auditoria das disponibilidades

  • Exame físico – contagem de caixa e de aplicações financeiras.
  • Confirmação – confirmação de saldos bancários e de aplicações financeiras.
  • Observação – classificação adequada das contas e observação dos princípios de contabilidade.
  • Cálculos – soma das conciliações e soma da razão auxiliar de bancos.

QUESTÃO CERTA: A contagem de caixa é aplicável para as empresas que efetuam as suas vendas à vista e que, consequentemente, podem ter uma quantia significativa de recursos em caixa, na data do balanço patrimonial.

QUESTÃO CERTA: A contagem de caixa e a comparação com o saldo final no livro razão, é exemplo de: confronto dos ativos com os seus registros.

QUESTÃO ERRADA: Entre as recomendações fundamentais em matéria de contagem dos valores das disponibilidades, destacam-se as contagens sucessivas, que devem ser realizadas quando houver valores depositados em diferentes locais, a fim de que uma mesma equipe possa realizar o trabalho de modo uniforme.

Contagens simultâneas seria o correto. E “evitando que o mesmo numerário seja contado nos dois caixas” e “a fim de que uma mesma equipe possa realizar o trabalho de modo uniforme”.

Na contagem do caixa alguns pontos devem ser observados:

A – Caso exista mais de um caixa, definir qual deles será contado. Caso o auditor decidir pelos dois, deverá planejar para que o trabalho seja realizado de forma concomitante.

B – Para evitar possíveis manipulações ou encobertas de fraudes, a contagem deve revestir-se do caráter de surpresa.

C – Para evitar problemas, a presença do responsável pelo caixa durante a contagem é obrigatória. Ao final da contagem o auditor deverá exigir uma declaração do responsável pelo caixa de que todo o dinheiro e outros bens colocados à disposição da auditoria foram devolvidos ao caixa.

D – Registrar a contagem em documento de auditoria do qual constarão, entre outras as seguintes informações: 1) nome do fundo ou do caixa; 2) nome do responsável pelo numerário; 3) data e hora da realização da contagem; e 4) listagem de todos os itens constantes do caixa, tais como: dinheiro, cheques, recibos, e outros; 5) recibo (declaração) de devolução dos itens contados, conforme comentado acima (C)       

E – Atentar para sinais que indiquem possíveis dissimulações de numerários, tais como: 1) descontos de cheques de terceiros; 2) empréstimos temporários; 3) comprovantes de pagamentos com sinais de falsificações; e 4) cheques de realização duvidosa. Para estes casos o auditor deverá obter as explicações de imediato e acompanhar a solução.

QUESTÃO ERRADA: A data de realização da contagem de caixa deve ser definida pelo auditor em comum acordo com a empresa auditada.


Errado – caso o auditor avise à empresa a data da contagem de caixa a mesma tomará as medidas para esconder qualquer irregularidade com o caixa.


Ao realizar uma auditoria no caixa da Companhia X, em 31 de dezembro de 2013, o auditor apurou os seguintes dados:

· O saldo em 30 de dezembro de 2013, apontado no boletim de caixa assinado pelo responsável, era de R$ 300.000,00.
· Não ocorreram movimentações de saídas de valores, em 31 de dezembro de 2013, até o início da contagem.
· Havia uma operação de entrada de valores, relativa a um recebimento em espécie de cliente em 30 de dezembro de 2013, que ainda não havia sido registrada no boletim de caixa, no valor de R$ 15.000,00.
· Existiam vales no caixa de ex-funcionários demitidos há mais de uma semana, que totalizavam R$ 15.000,00.
. Existiam cheques de clientes com prazos concedidos para depósitos a partir de 01 de fevereiro de 2014, no montante de R$ 80.000,00.
· Existiam vales concedidos a alguns funcionários em 30 de dezembro de 2013, para acerto no dia seguinte, no montante de R$ 15.000,00.
· Foi apurada uma falta de caixa de R$ 80.000,00.

Considerando os dados apurados na contagem de caixa e sabendo que o critério adotado pela Companhia X (validado pelo auditor) é de somente manter como saldo de caixa o valor em espécie e os demais documentos somente para solução em até 48 horas da data do evento, qual deverá ser o saldo de caixa correto, em 31 de dezembro de 2013, após a contabilização de todos os ajustes que deverão ser sugeridos pelo auditor? R$ 140.000,00.

Comentários:

A partir dos R$ 300.000,00 apontados no item I, devemos:

III – Somar R$ 15.000,00, já que a entrada de valores não havia sido contabilizada.

IV – Subtrair R$ 15.000,00, pois esses valores de vales de funcionários já demitidos não serão considerados pela auditoria.

V – Subtrair R$ 80.000,00, já que esses valores em cheques para 01 de fevereiro não deveriam ter sido contabilizados em caixa.

VI – Como o acerto se dará no dia seguinte, não é necessário o estorno desses R$ 15.000,00

VII – Subtrair R$ 80.000,00 de falta de caixa.

Dessa forma, 300 + 15 – 15 – 80 – 80 = R$ 140.000,00

QUESTÃO CERTA: Em uma auditoria de Caixa e Bancos pode-se afirmar: os testes devem ser em um maior volume de amostragem, por ser um ativo sujeito a um risco maior, em virtude de sua pronta liquidez.

Uma vez que o caixa é considerado um bem que envolve grande risco e relativamente difícil de ser controlado, os procedimentos de auditoria a eles destinados tendem a ser mais extensos e mais detalhados que as outras áreas. Como em todos os casos, a avaliação que o auditor faz do controle interno contábil do cliente sob o caixa e banco irá influenciar muito a extensão e a intensidade dos procedimentos de auditoria a serem empregados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui