Tipos de Amostragem (com exemplos)

0
1914

Podemos definir em linguagem clara e objetiva de que a Amostragem é selecionar uma parcela, subconjunto ou parte de um universo ou população para que se possa definir com base nesta parcela as características da população.

 Existem duas formas de selecionarmos esta parcela de elementos dentro da população total, e estas são: Amostragem Estatística e Amostragem Não-Estatística, também chamadas de Probabilística e Não Probabilística.

Amostragem Estatística

A Amostragem Estatística é realizada através de técnicas de probabilidade matemática que garantem que o parcela selecionada da população tenha as mesmas características desta.

Este tipo de amostragem evita que o pesquisador (no nosso caso o Auditor) possa ter qualquer tipo de escolha sobre a inclusão ou exclusão de um item, permitindo que todos possam ter a mesma possibilidade de pertencer à amostra. Esta inclusão/exclusão é feita através de técnicas matemáticas como tabelas com números aleatórios, sistemas próprios para este fim, números gerados por computador, etc.

Amostragem Não Estatística

A Amostragem Não Estatística é logicamente o contrário da Estatística, ou seja, quando não se pode ter certeza de que os elementos escolhidos para fazerem parte da amostra possuem as características da população.

A Amostragem Não Estatística não se utiliza das probabilidades matemáticas como a Estatística e sim do feeling do pesquisador, ou seja, a experiência e o conhecimento que o pesquisador possui para selecionar as amostras.

QUESTÃO CERTA: Amostragem não-estatística é aquela em que o auditor seleciona itens para verificação segundo sua intuição, experiência pessoal e conhecimento da situação e da entidade.

QUESTÃO ERRADA: A amostragem estatística, por permitir a generalização de evidências encontradas pelo auditor a partir de uma amostra da população examinada, é especialmente recomendada a situações em que os itens objetos do trabalho apresentam características marcadamente distintas.

A amostragem estatística é especialmente recomendada a situações em que os itens objetos do trabalho apresentam características marcadamente similares, ou seja, com pouca variabilidade. O auditor pode utilizar a estratificação quando se depara com uma população heterogênea, dividindo-a em estratos cujos elementos apresentarão uma maior homogeneidade.

QUESTÃO CERTA: De acordo com as normas de auditoria governamental, assinale a opção incorreta: O método de amostragem do tipo probabilístico fundamenta-se em amostras embasadas na experiência do servidor. Nesse sentido, os elementos estão estabelecidos de acordo com a população.

QUESTÃO CERTA: A Receita Federal do Brasil e a Secretaria Municipal de Fazenda, hipoteticamente, celebram convênio para compartilhamento de informações sujeitas a sigilo fiscal da declaração anual de imposto de renda. Sob os termos do convênio, é obrigatória a solicitação individualizada e motivada do dado a que se deseja ter acesso e haverá custo para sua disponibilização, uma vez que o serviço que assegura os termos do convênio é prestado com exclusividade pelo Serpro, de acordo com tabela de preços por ele praticada. Após o levantamento da base de dados de lançamentos fiscais do ITBI dos últimos cinco anos junto ao sistema da Secretaria de Fazenda, a Municipalidade avalia a possibilidade de confrontar tais registros com os imóveis declarados anualmente pelos proprietários à Fazenda Federal. Os custos de obtenção e análise de todos os dados do IRPF, entretanto, pareceram proibitivos. Na circunstância narrada,

é possível adotar a técnica conhecida como amostragem, que pode ser empregada por meio da escolha dos registros a serem analisados, a partir da experiência dos fiscais.

Os meios à disposição do auditor para a seleção de itens a serem testados são:

(a) Seleção de todos os itens (exame de 100%, também chamado de censo);

(b) Seleção de itens específicos; e

(c) Amostragem de auditoria.

A questão menciona que:  “Municipalidade avalia a possibilidade de confrontar tais registros com os imóveis declarados anualmente pelos proprietários à Fazenda Federal.” 

Sendo assim, o uso de amostragem não só pode ser usado como também é o mais recomendável, avaliar 1 por 1 dos registros tornar-se-ia muito mais dificultoso.

Amostragem em auditoria —> é a aplicação de procedimentos de auditoria em menos de 100% dos itens de população relevante para fins de auditoria (ou seja, em partes do universo), de maneira que todas as unidades de amostragem tenham a mesma chance de serem selecionadas para proporcionar uma base razoável que possibilite o auditor concluir sobre toda a população.

População—>é o conjunto completo de dados sobre o qual a amostra é selecionada e sobre o qual o auditor deseja concluir.

QUESTÃO ERRADA: A amostragem aleatória pode ser selecionada e analisada a partir da população discreta. Nesse caso, nem todos os elementos da população devem ter a mesma chance de fazer parte da amostra.

Essa é fácil de identificar o erro. Uma das propriedades mais relevantes da amostragem aleatória é que cada elemento da população tem a mesma chance de ser selecionado.

QUESTÃO CERTA: A aplicação de procedimentos de auditoria a todos os pagamentos efetuados a fornecedores de equipamentos de informática para determinado órgão da administração pública não é considerada amostragem de auditoria.

A análise por completo de uma conta denomina-se censo de auditoria, e não amostragem.

QUESTÃO CERTA: A amostragem que se baseia em critérios pessoais decorrentes da experiência profissional do auditor e do seu conhecimento do setor em exame, é do tipo: não probabilística.

Amostragem estatística (Probabilística) é a abordagem à amostragem com as seguintes características:

(a) seleção aleatória dos itens da amostra; e

(b) o uso da teoria das probabilidades para avaliar os resultados das amostras, incluindo a mensuração do risco de amostragem.

A abordagem de amostragem que não tem as características (i) e (ii) é considerada uma amostragem não estatística (não probabilística).

QUESTÃO ERRADA: A amostragem não probabilística, apesar de não permitir tratamento estatístico, pode ser utilizada em uma auditoria, propiciando a generalização dos resultados obtidos.

A principal característica do método de amostragem não estatístico (ou não probabilístico) é que este se baseia, principalmente, na experiência do auditor. Sendo assim, a aplicação de tratamento estatístico a seus resultados se torna inviável, bem como a generalização dos resultados obtidos através da amostra para a população.

QUESTÃO CERTA: Em favor do tempo e do custo, o auditor pode utilizar métodos de amostragem estatística, bem como pode utilizar os métodos de não estatística para atingir o escopo de seus trabalhos. Contudo, no primeiro caso, às vezes, a variável explicativa não está disponível por falta de estatísticas. Nesses casos, o auditor poderá utilizar uma variável proxy, que substituirá aproximadamente aquela que ele está procurando. No entanto, é imprescindível que, a partir da seleção da amostra de auditoria, o profissional se esmere para obter evidência de auditoria suficiente e apropriada para sustentar a avaliação dos resultados da amostra. Tendo como referência o texto acima, julgue os itens a seguir, a respeito da amostragem e de suas técnicas. As opiniões de peritos pré-selecionados em relação ao assunto objeto da pesquisa podem ser utilizadas como variável proxy, contudo, tais julgamentos não podem ser generalizados para a população como um todo.

Uso de peritos não retira responsabilidade do auditor.  Variável proxy é a externa.  Se o auditor vai ou não generalizar a amostra periciada para a população é responsabilidade dele, conforme julgamento do caso específico. 

A amostragem probabilística deve ser utilizada quando a finalidade do procedimento de auditoria é obter evidências, informações, conclusões, avaliações ou recomendações sobre a população por meio da generalização dos resultados da amostra; já a amostra não probabilística pode ser utilizada quando a finalidade do procedimento de auditoria é obter informações, conclusões, avaliações ou recomendações que se aplicam somente aos itens selecionados na amostra.  

FGV (2022):

QUESTÃO CERTA: Em decorrência de uma experiência piloto realizada com órgãos da Administração Pública federal, uma equipe de auditoria foi demandada para realizar um exame de casos com os órgãos participantes da experiência piloto. Em decorrência do tamanho pequeno da amostra, o exame não tinha como objetivo a obtenção de inferências sobre a população, mas uma análise detalhada sobre os desdobramentos da experiência piloto. Para atender a demanda, na seleção dos casos a serem auditados, recomenda-se que a equipe de auditoria adote o critério de: amostragem por julgamento.

Analisando o que a questão traz: “em decorrência do tamanho pequeno da amostra, o exame não tinha como objetivo a obtenção de inferências sobre a população, mas uma análise detalhada sobre os desdobramentos da experiência piloto.”

▶ Amostragem por julgamento é sinônimo de amostragem não estatística. Nesse caso, utiliza-se o julgamento do auditor para a seleção de itens que irão compor a amostra.

Os resultados obtidos em amostragens não estatísticas são válidos apenas para os elementos observados. 

Alguns tipos de amostragem não probabilística:

  • conveniência;
  • julgamento;
  • bola de neve;
  • cotas.